Situação de moradores de rua é o que mais preocupa nesse momento no Brasil

O frio recorde negativo que se aproxima do Sul do Brasil já movimenta  preventivamente autoridades e sociedade. A sensação térmica em alguns locais mais altos pode chegar à casa dos -20Cº já a partir de amanhã (27) estendendo-se até o sábado (31). Obviamente que, com isso, a preocupação com as pessoas menos favorecidas aumenta e as doações precisam chegar antes das consequências da forte massa polar.
O A2 Portal identificou algumas entidades que estão atuando nesse sentido aceitado doações: Projeto Apoio Humanitário + Polícia Militar de Porto União,  Pastoral familiar da Paróquia São Pedro e São Paulo (WhatsApp : 42 9 9128.8995) , Lar Espirita União e Ciretran (DETRAN PR) de União da Vitória.
Outro levantamento importante é com relação ao projeto “Alimenta Iguaçu” que também arrecada vestuários. Na APP Sindicato de União da Vitória há ponto de arrecadação, com plantão de atendimento de segundas-feiras a sextas-feiras à tarde. “Estamos orientando que nas Escolas Públicas Estaduais de União da Vitória façam arrecadação pois virá frio e nosso alunado já retornou aulas presenciais e até o presente momento as autoridades não dispensaram aulas no período da frente fria e a maioria destes(as) alunos(as) não possuem roupas suficientes ao frio previsto”, explicou Delamar Corrêa.
Isso foi um fato bastante debatido em painel com especialistas da MetSul. Mesmo as pessoas que possuem “roupas de inverno” poderão sentir as consequências, haja vista que a previsão é de um estágio jamais enfrentado e os recursos existentes podem ser insuficientes. 
Outro aspecto sobre a distribuição de doações é que ainda não identificamos nas Gêmeas do Iguaçu “uma central” que oriente estas iniciativas para que a entrega às pessoas que necessitam seja feita do modo mais amplo possível. Ou seja, diante “da pressa” gerada pelo desafio que se aproxima pode ocorrer que determinadas regiões, por serem mais conhecidas, acabem sendo mais visitadas por esta solidariedade voluntárias que, por vezes, partem de modo até individual.
Independente disso, que seria uma questão de evolução nestas causas, é preciso incentivar doações e que estas sejam feitas preferencialmente por meio das campanhas já instituídas, além de intensificarmos os alertas para o frio intenso, observando inclusive a situação de animais domésticos.  

Autoridades
Na manhã desta segunda-feira (26) a Defesa Civil de Santa Catarina (DCSC), promoveu uma reunião de alinhamento com as estruturas estaduais em função do alerta de frio intenso. Participaram do encontro o Corpo de Bombeiros Militar (CBMSC), Secretaria de Estado da Assistência Social, CASAN, Polícia Militar (PMSC), Epagri, Casa Civil, Secretaria de Estado da Saúde e Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (SANTUR).

A situação está sendo monitorada desde a última semana pela DCSC quando avisos de frio foram emitidos para os municípios. Em paralelo, o Governo do Estado deixou toda a estrutura de prontidão para dar o suporte, caso necessário, as cidades catarinenses. O Chefe da DCSC, David Busarello, abriu a reunião falando da importância do alinhamento da estrutura. “Teremos uma ação conjunta no que diz respeito as responsabilidades do Estado. Sabemos que tivemos manifestações na última semana, de diversos veículos, apontando uma situação muito mais grave do que as previsões estão confirmando, mesmo assim estaremos preparados para qualquer situação”, comentou. A DCSC está acionando na tarde de hoje o Grupo de Ações Coordenadas (GRAC) e as coordenadorias regionais para reforçar as ações de preparação.

Já o coordenador de monitoramento e alerta da DCSC, Frederico Rudhorff, explicou que a partir de hoje teremos a passagem de uma frente fria, mas que não vai oferecer riscos significativos de tempestades. “Amanhã será um dia chuvoso em Santa Catarina e o início do declínio acentuado da temperatura em todo o Estado, com maior intensidade nos planaltos Norte e Sul”. O pico será na quinta-feira, mas o frio se estende até o próximo sábado”, explicou Rudhorff. Ele reforça que teremos temperaturas negativas com frio abrangente e intenso, com chances de geada no litoral.

Com base nesta situação, a SANTUR orienta que os turistas devem subir as serras catarinenses apenas com a garantia de reserva em hotéis e pousadas. Já o CBMSC destacou a realização da Operação Serra Mais Segura. A ação, que é realizada no inverno, será reforçada neste período e abrange orientações as pessoas que circulam nas áreas mais altas do Estado. Uma das orientações é que as pessoas não devem utilizar, no interior de casas, churrasqueiras ou latas com fogo que podem provocar incêndios ou intoxicação por monóxido de carbono. “Uma de nossas preocupações se refere aos locais turísticos e também aos turistas mal preparados que podem correr o risco de hipotermia. Estamos mobilizando efetivo para dar apoio”, comentou o subcomandante do CBMSC, Ricardo José Steil.

Com as baixas temperaturas existe o risco de congelamento de rodovias. A Polícia Militar Rodoviária (PMR) está reforçando o efetivo e colocado em prática a Operação Gelo na Pista, além de pontos de apoio nas barreiras que serão instaladas nos postos policiais caso ocorra a necessidade de fechamento de rodovias.

O aviso de frio intenso também se estende a agricultura, piscicultura e pecuária que poderão ter impactos negativos. Para isso, a Epagri está repassando orientações aos produtores rurais em relação aos cuidados necessários para cada cultura.

É importante destacar que existe também o risco de ressaca e alagamentos costeiros a partir de quarta-feira (28). Desta forma, a DCSC destaca o risco de navegação de pequenas e médias embarcações e a necessidade de cuidados com apetrechos de pesca.