top of page
Buscar

11.000 crianças no Iêmen mortas ou mutiladas na guerra, diz ONU



Sabe-se que mais de 11.000 crianças foram mortas ou mutiladas na guerra civil do Iêmen desde que ela se intensificou há quase oito anos, disse a ONU na segunda-feira.


Isso representa uma média de quatro crianças por dia desde que os combates se intensificaram em 2015, embora o número real do conflito provavelmente seja muito maior, informou o fundo da ONU para crianças.


“Milhares de crianças perderam a vida, centenas de milhares permanecem em risco de morte por doenças evitáveis ​​ou fome”, disse a diretora-executiva do Unicef, Catherine Russell.

Cerca de 2,2 milhões de crianças iemenitas sofrem de desnutrição aguda, um quarto delas com menos de cinco anos, e a maioria corre risco extremo de contrair cólera, sarampo e outras doenças evitáveis ​​por vacinação, disse o Unicef.


A guerra civil estourou no Iêmen em 2014 e viu rebeldes Houthi apoiados pelo Irã tomarem a capital Sanaa. Uma coalizão liderada pela Arábia Saudita interveio a convite do governo internacionalmente reconhecido do Iêmen no ano seguinte.


Centenas de milhares morreram desde então, como resultado de combates ou indiretamente por meio de água potável insegura, surtos de doenças, fome e outros impactos. A ONU chamou o conflito de uma das maiores crises humanitárias e operações de ajuda do mundo.


Os últimos números do Unicef ​​confirmam 3.774 mortes infantis entre março de 2015 e setembro de 2022.


Uma trégua mediada pela ONU durou seis meses até 2 de outubro, mas as partes em conflito não chegaram a um acordo sobre uma extensão.


Desde então, pelo menos 62 crianças foram mortas ou feridas, disse o Unicef.


“A renovação urgente da trégua seria um primeiro passo positivo que permitiria o acesso humanitário crítico”, disse Russell.

“Em última análise, apenas uma paz sustentada permitirá que as famílias reconstruam suas vidas destruídas e comecem a planejar o futuro.”


A agência da ONU também disse que 3.904 meninos foram recrutados para os combates ao longo dos anos e que mais de 90 meninas receberam funções, incluindo trabalhar em postos de controle.


A Unicef ​​apelou por US$ 484,4 milhões em financiamento para enfrentar a crise humanitária.


“Se as crianças do Iêmen quiserem ter alguma chance de um futuro decente… todos aqueles com influência devem garantir que sejam protegidos e apoiados”, disse Russell.


1/9
bottom of page