Buscar

7 de Setembro: comemorações e manifestações ganharam ruas pelo Brasil e também nas Gêmeas do Iguaçu



Sob os olhares e aplausos de milhares de pessoas na Esplanada dos Ministérios, tropas das Forças Armadas, Polícia Militar, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e o Corpo de Bombeiros Militar desfilaram na manhã de hoje (7) nas comemorações do Bicentenário da Independência do Brasil. O desfile ocorreu após um hiato de dois anos devido à pandemia de covid-19.


O sol intenso, geralmente presente nos últimos meses em Brasília, na época de seca, não apareceu como se esperava neste feriado de Independência, fazendo com que o desfile ocorresse em um dia nublado e de vento frio na Esplanada.


Perto das 9h, o presidente da República, Jair Bolsonaro, chegou. Antes de ir para a tribuna, o presidente quebrou o protocolo e decidiu caminhar pela pista, acenando para as arquibancadas, repletas de apoiadores. Nesse momento, paraquedistas do Exército desceram na Esplanada trazendo uma bandeira do Brasil. Em seguida, o presidente ocupou seu lugar na tribuna para o início do desfile, que foi marcado pela passagem da Esquadrilha da Fumaça. Os aviões cortaram o céu da Esplanada e deixaram um rastro de fumaça nas cores da Bandeira Nacional.


Entre os presentes na tribuna de honra, junto do presidente e da primeira-dama Michelle Bolsonaro, estavam os ministros da Economia, Paulo Guedes, do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, e da Saúde, Marcelo Queiroga, além do vice-presidente Hamilton Mourão. O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, também esteve no local.


Uma diferença do desfile deste ano para os passados foi a presença de 27 tratores, cada um representando um estado brasileiro e o Distrito Federal. A presença desses veículos no desfile buscou representar a importância do setor agropecuário no país.


Em campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro viu seus apoiadores na grande maioria do público presente. Pessoas com camisetas e bonés com o rosto e o nome do presidente gritavam seu nome a todo momento.


Uma multidão se espalhou pelo gramado da Esplanada durante o desfile, sem conseguir acessar as arquibancadas já lotadas. No meio do público, avistavam-se faixas com críticas a ministros do Supremo Tribunal Federal e ao comunismo.

Bolsonaro não discursou durante o desfile.


Atos seguintes

Após o desfile, em Brasília, Bolsonaro discursou para os apoiadores, ocasião na qual exaltou programas sociais implantados durante o governo — como o Auxílio Brasil —, comentou a diminuição no preço da gasolina e afirmou que "joga dentro das quatro linhas" da Constituição, em referência às eleições de outubro.


Uma multidão se concentra no local para comemorar o 7 de Setembro e apoiar o presidente Jair Bolsonaro. Os manifestantes levaram para as ruas bandeiras do Brasil e estão vestidos majoritariamente de verde e amarelo. Como candidato à reeleição, Bolsonaro participou de outros eventos na parte da tarde desta quarta-feira e fez um discurso com forte tom eleitoral em Copacabana, no Rio de Janeiro.


No Rio de Janeiro, uma multidão foi à praia de Copacabana, na zona sul, para a manifestação do 7 de Setembro. Os manifestantes levaram para as ruas bandeiras do Brasil vestidos majoritariamente de verde e amarelo.

Em São Paulo, manifestantes se reuniram na avenida Paulista para demonstrar apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Mais cedo, houve um desfile cívico-militar na avenida Dom Pedro 1º, no bairro do Ipiranga, para celebrar o Bicentenário da Independência do Brasil.


Local

Foto reprodução Whatsapp


Nas Gêmeas do Iguaçu ecoou a manifestação em favor do atual presidente. Uma carreata recorde percorreu as ruas das Gêmeas do Iguaçu em ato que culminou com reunião de apoiadores na Praça Hercílio Luz, em Porto União.


Lula Considerado principal adversário do atual presidente na corrida eleitoral, Lula não cumpriu agenda neste 7 de Setembro. O PT decidiu não disputar as ruas por entender que é uma "queda de braço que não vale a pena". Sem promover eventos abertos, Lula ficou em casa.


1/7