Buscar

"A guerra pode levar anos, mas o Ocidente não deve desistir de apoiar a Ucrânia", diz Stoltenberg



Com armas modernas, a Ucrânia seria capaz de libertar a região leste do país dos invasores russos, mas isso poderia levar anos. A declaração relevante foi feita pelo secretário-geral da OTAN Jens Stoltenberg em entrevista ao Bild da Alemanha, um correspondente da Ukrinform relata.


“Os ucranianos estão se defendendo bravamente contra os invasores russos. Embora a Rússia esteja travando a guerra no Donbas com crescente brutalidade, os soldados ucranianos estão resistindo corajosamente. Com armas mais modernas, aumenta a probabilidade de que a Ucrânia consiga expulsar as tropas de Putin do Donbas”, disse Stoltenberg.


Enquanto isso, de acordo com Stoltenberg, ninguém sabe quando a guerra termina. O Ocidente deve se preparar para o fato de que isso pode levar anos e não deve desistir de apoiar a Ucrânia.


“Mesmo que os custos sejam altos, não apenas pelo apoio militar, mas também pelo aumento dos preços da energia e dos alimentos. Mas isso não é comparação com o preço que os ucranianos têm que pagar todos os dias com muitas vidas. E se Putin aprender com esta guerra que ele pode simplesmente continuar como fez após a guerra de 2008 na Geórgia e a ocupação da Crimeia em 2014, então pagaremos um preço muito mais alto”, enfatizou Stoltenberg.


Em suas palavras, a OTAN continuará a apoiar a Ucrânia em sua autodefesa, mas não fará parte do conflito.


“Estamos ajudando o país, mas não enviaremos soldados da OTAN para a Ucrânia”, explicou Stoltenberg.

Ao mesmo tempo, a OTAN reforçou suas próprias defesas, com 40.000 soldados sob seu comando, para garantir o território da aliança em terra, no mar e no ar.


Stoltenberg também observou que o mundo se tornou mais perigoso. Na cúpula da OTAN em Madri, no final de junho, a OTAN planeja declarar que a Rússia não é mais um parceiro, mas uma ameaça à segurança, paz e estabilidade.

1/7