Buscar

A vida da mulher que atirou flores: infância de maus-tratos, aliciamento, separação e depressão



O embasamento do triste episódio que inicialmente parecia ser consequência de mais uma situação pós-discussão e viralizou nas redes sociais da região com um vídeo amador é muito mais profundo do que o A2 Portal já conseguiu mostrar. A mulher que protagonizou o caso já era vítima de infortúnios há mais tempo do que muitos podiam imaginar. O A2 conseguiu contato com familiares e a história dela ganhou contornos dramáticos que, para assimilar corretamente é preciso compreensão, só possível a partir da informação para a evolução de conceitos sociais. “Ela não teve uma infância fácil. Viveu em meio a maus-tratos e possivelmente foi aliciada pelo próprio pai”, revela uma pessoa muito próxima cuja identidade vamos manter no anonimato. Segundo essa fonte, a mulher tem, ainda, uma irmã deficiente e vivenciou a separação dos pais logo aos seu 4 anos de idade.

Aos 18 anos ela passou a sofrer de depressão. Mesmo depois de casada sua vida não encontrou um caminho de tranquilidade – ou de normalidade – e a união conjugal foi desfeita. “Se ela não toma remédios, descontrola e os resultados são esses que foram gravados” conta nossa fonte que preserva muito carinho pela vítima.

“Gostaria que as pessoas não zombassem dela. Não teve e nem está tendo uma vida fácil. E penso que é preciso mais amor e respeito nesse momento, pois, para nós familiares tudo isso é bem difícil também”, pediu a fonte ao autorizar essa reportagem que é, também, uma espécie de apelo.

1/4