top of page
Buscar

Abbas sanciona Lei que cria o Acervo Histórico Documental e Centro de Pesquisa Histórica



Parceria firmada entre Secretaria Municipal de Cultura e Instituto Federal do Paraná (IFPR), o Acervo Histórico Municipal, que já resgata a História do Município, agora é lei, que tem como principal objetivo, preservar documentos históricos, independente da Administração a frente do Executivo Municipal.


Documentos, fotos, mapas e diplomas que se entrelaçam e contam a história de União da Vitória estão entre os milhares de objetos que vão compor o Acervo Histórico Documental e Centro de Pesquisa Histórica do Município e que em breve estará aberto para a visitação de toda a população.


Resultado de uma parceria entre a Prefeitura, através da Secretaria de Cultura e o Instituto Federal do Paraná (IFPR) e criado através da Lei Municipal nº 5062, o acervo está sendo montando no prédio da Estação União e contará com documentos que fazem parte dos arquivos da Prefeitura e do acervo da Rede Ferroviária – RFFSA.


A lei de criação do Acervo Histórico e Centro de Pesquisa foi sancionada nesta segunda-feira, 12, e se tornou um marco para a história de União da Vitória. “Hoje estamos plantando uma semente, fazendo uma lei que vai resgatar e preservar a história de União da Vitória”, afirmou o prefeito de União da Vitória, Bachir Abbas durante a assinatura da lei.


Tornar o acervo histórico faz parte do projeto de governo de manter programas que estão dando certo em União da Vitória, para que eles tenham continuidade, independente das futuras administrações. “A lei ela dá a continuidade ao projeto, porque muitos projetos bons acabam se perdendo na troca de administração, porque mudam os interesses, mas quando se tornam lei, os projetos podem ser cobrados”, explicou a secretária de Cultura, Francielle Misturini, que também destacou a importância do Acervo Histórico para conhecer a real história de União da Vitória em documentos que farão parte do espaço.


O professor e historiador do IFPR, Vitor Marcos Gregório, que está a frente dos trabalhos de resgate dos documentos, disse que este é um dos principais momentos que ele tem vivido como historiador, podendo fazer o resgate de tanta história de União da Vitória, e disse que espera que União da Vitória seja exemplo para todo o Brasil, por estar olhado para o seu passado e vislumbrando um futuro melhor. “A gente precisa muito rememorar nossa história, precisamos muito conhecer nosso passado, nossa trajetória, para não repetir os mesmos erros, como eu gosto de falar quem sabe de onde veio, não sabe pra onde vai”, destacou o professor.


Acervo Histórico Municipal

Entre as relíquias encontradas nos documentos que fazem parte do Acervo Histórico estão os primeiros contratos assinados logo na emancipação de União da Vitória, datados de 1890 para a navegação no Rio Iguaçu, para a instalação do primeiro matadouro do Município e diversos outros documentos como títulos de posse de terrenos, cartas, mapas e fotografias que contam a história de União da Vitória e de toda a região ao longo dos anos.

Como parte da parceria, um grupo de alunos comandados pelo professor Vitor, realizou a separação e recuperação dos documentos está fazendo a catalogação e posteriormente a digitalização, para que fiquem à disposição da comunidade para a consulta.


Os documentos que compõe o acervo, em sua grande parte estavam guardados na antiga Prefeitura de União da Vitória, e vão se unir ao acervo da RFSS que foi dado em comodato do Iphan para o IFPR e que agora voltam para o seu local de origem, na Estação União.

Após a digitalização, todos os documentos, fotos e mapas serão estruturados dentro do espaço reservado para o Acervo, que deverá ser aberto para a visitação ainda no primeiro semestre de 2023.

1/9
bottom of page