top of page
Buscar

Batalha por Bakhmut: russos levam "semanas para capturar uma única casa"



Um militar ucraniano em um abrigo na linha de frente perto de Bakhmut, na região leste de Donbass.


O chefe do Grupo Wagner de mercenários russos admitiu que a batalha para capturar a cidade de Bakhmut, no leste da Ucrânia, está sendo travada de casa em casa. A admissão de Yevgeny Prigozhin é mais um sinal de que o esforço de guerra da Rússia no Donbass estagnou, já que o primeiro aniversário da invasão no próximo mês se aproxima.


Durante uma sombria visita de Ano Novo à cidade de Bakhmut, no leste da Ucrânia, Prigozhin, um aliado do presidente Vladimir Putin, parecia imperturbável enquanto inspecionava montes de sacos com cadáveres contendo seus combatentes falecidos. O oligarca, de 61 anos, foi filmado em um necrotério improvisado, onde a extensão das perdas da Rússia no campo de batalha foi revelada.


Ele podia ser visto abençoando a si mesmo enquanto apontava uma tocha para os restos mortais expostos e embrulhados de seus homens, muitos dos quais se acredita serem condenados. Sacos pretos para cadáveres podiam ser vistos empilhados uns sobre os outros até a altura dos ombros no canto de uma sala.


“O contrato deles terminou, eles irão para casa na próxima semana”, pode-se ouvir Prigozhin dizendo, acrescentando: “Estes estão se preparando para serem enviados. Todos nós trabalhamos durante a véspera de Ano Novo.


“Aqui jazem os lutadores de Wagner que morreram no front. Eles agora estão sendo colocados em caixões de zinco e vão voltar para casa”.

Em outra cena em imagens publicadas por seu próprio meio de comunicação, o chefe Wagner pode ser visto observando enquanto mais corpos são carregados de um caminhão para macas.


“Até logo, pessoal. Feliz Ano Novo!" ele pode ser ouvido dizendo.


Nos últimos meses, Bakhmut sofreu alguns dos confrontos mais pesados ​​entre as forças invasoras e as tropas leais a Kyiv.


O Grupo Wagner de paramilitares está liderando a tentativa da Rússia de capturar a cidade, que Prigozhin anteriormente chamou de “moedor de carne de Bakhmut”.


Em entrevista à TV estatal russa na terça-feira, ele admitiu que as tropas às vezes lutavam "várias semanas por uma única casa".


“Todo mundo quer saber quando vamos capturar [Bakhmut]”, disse Prigozhin à mídia estatal. “[Mas] toda casa se tornou uma fortaleza. Nossos caras às vezes lutam por mais de um dia por uma casa. Às vezes eles brigam por semanas por uma casa. A cada 10 metros há uma linha defensiva.”


O empresário é conhecido como “chef de Putin” depois que o presidente participou de vários jantares oferecidos por seus restaurantes e empresas de catering.


O Grupo Wagner apareceu pela primeira vez na Ucrânia em 2014, quando seus combatentes faziam parte da anexação da Crimeia pela Rússia.


Enquanto isso, a Rússia revisou seu número de mortos em um ataque ucraniano a um prédio que abrigava soldados em Makiivka. Autoridades dizem que 89 soldados morreram na explosão, depois de alegar que 63 vidas foram perdidas. Kyiv disse que o número de mortos provavelmente chegará a 400.


O ataque da véspera de Ano Novo na cidade controlada pelos russos perto da cidade de Donetsk atingiu um prédio usado como acomodação para as tropas de ocupação.


Os militares russos culparam o uso não autorizado de telefones celulares por soldados por permitir que os ucranianos identificassem sua posição.


O tenente-general Sergei Sevryukov disse na noite de terça-feira que sinais transmitidos de celulares permitiram que as forças de Kyiv "determinassem as coordenadas da localização de militares" e iniciassem um ataque. Ele disse que os militares estão tomando medidas não especificadas para “evitar incidentes trágicos semelhantes no futuro”, pois prometeu punir os funcionários responsáveis ​​pelo erro.


O ataque, um dos mais mortíferos contra as forças do Kremlin desde o início da invasão, ocorreu um minuto depois do início do ano, de acordo com o tenente-general Sevryukov.


A munição também pode ter sido armazenada lá e provavelmente contribuiu para mais danos, de acordo com o britânico.

1/9
bottom of page