Buscar

Beto Passos deve deixar cadeia em Joinville nos próximos dias


O juiz da vara criminal da comarca de Canoinhas, Eduardo Veiga Vidal, homologou ontem ( 21) o acordo de colaboração premiada do ex-prefeito de Canoinhas, Beto Passos (PSD), preso desde 29 de março deste ano, na sétima fase da Operação Et Pater Filium.


Isso significa dizer que, dependendo do que foi acordado, ele pode deixar a cadeia nos próximos dias, considerando que todos os colaboradores deixaram a prisão logo após firmarem acordo por meio do qual entregaram partes do esquema criminoso do qual são acusados que o Ministério Público (MPSC) ainda desconhece.


A defesa de Passos, representada pelo escritório Glinski, disse que não pode se manifestar sobre o processo, que corre em sigilo, no momento.


Passos tem contra ele duas acusações principais: comprar dois caminhões para com ajuda do suposto laranja Joziel Dembinski fraudar licitações públicas e formar uma organização criminosa com seu vice e os empresários do Coletivo Santa Cruz para fraudar licitações do transporte escolar.


Pike Preso junto com Passos, o então vice-prefeito Renato Pike seria o grande articulador do suposto esquema com o Coletivo Santa Cruz. Ele ainda é acusado de usar sua revenda de carros para lavar dinheiro que teria sido desviado dos cofres públicos.


Pike também é réu sem sentença. Ele se recusou a renunciar ao cargo de vice, mas teve seu mandato extinto pela Câmara de Vereadores, o que ainda pode ser contestado judicialmente. Ao contrário da vasta maioria dos réus, Pike é reticente em se afirmar inocente.


Além do ex-prefeito e vice, dos 14 presos na sétima fase da operação Et Pater Filium, apenas o empresário Joziel Dembinski e a ex-servidora da pasta de Obras da Prefeitura de Canoinhas, Amanda Suchara, seguem presos. Amanda chegou a ganhar habeas corpus, mas voltou para a cadeia depois de ter ameaçado ex-colegas de trabalho. As informações são do JMais

1/7