Buscar

Câncer de rim tem diagnóstico tardio na maioria das vezes


Imagem EBC


O câncer de rim é uma doença silenciosa que, na maioria das vezes, vai apresentar sinais apenas na fase aguda. "Sintomas como dor na parte lateral da barriga e nas costas, bem como sangue na urina podem indicar a presença do tumor. Alguns pacientes ainda apresentam inchaço abdominal e perda de peso. Para um diagnóstico, é importante procurar um especialista, que poderá descartar outras doenças", explica o médico Ramon Andrade de Mello, professor da disciplina de oncologia clínica do doutorado em medicina da Universidade Nove de Julho (Uninove), do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, e PhD em oncologia pela Universidade do Porto, Portugal.


Em aproximadamente 70% a 90% dos casos, o câncer de rim pode ser do tipo carcinoma de células renais claras, que afetam pessoas com idade entre 50 a 70 anos. "Essa é uma região do órgão responsável pela filtragem de impurezas do sangue", explica o oncologista. Entre 10% a 15% dos registros são do carcinoma papilar de células renais, que pode provocar dor e bloqueio da urina e vias urinárias. "O rim tem uma função muito importante no organismo, filtrando o sangue e eliminando as substâncias nocivas do corpo", detalha.



Os estudos sobre a doença ainda não são conclusivos para os fatores desencadeadores de tumores nesse órgão. "Sabemos que pessoas obesas, com hipertensão e histórico familiar são mais propensas ao câncer de rim", afirma Ramon Andrade de Mello. "Assim como qualquer outro tumor oncológico, o diagnóstico precoce contribui para aumentar as chances de cura", conclui.


Sobre Ramon Andrade de Mello

Pós-doutorado em Pesquisa Clínica no Royal Marsden NHS Foundation Trust (Inglaterra), Ramon Andrade de Mello tem doutorado (PhD) em Oncologia Molecular pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Portugal).


O médico tem título de especialista em Oncologia Clínica, Ministério da Saúde de Portugal e Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO). Além disso, Ramon tem título de Fellow of the American College of Physician (EUA) e é Coordenador Nacional de Oncologia Clínica da Sociedade Brasileira de Cancerologia, membro da Royal Society of Medicine, London, UK, do Comitê Educacional de Tumores Gastrointestinal (ESMO GI Faculty) da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (European Society for Medical Oncology – ESMO), Membro do Conselho Consultivo (Advisory Board Member) da Escola Europeia de Oncologia (European School of Oncology – ESO) e ex-membro do Comitê Educacional de Tumores do Gastrointestinal Alto (mandato 2016-2019) da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (American Society of Clinical Oncology – ASCO).


Dr. Ramon de Mello é oncologista do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, e do Centro de Diagnóstico da Unimed, em Bauru, SP.


Confira mais informações sobre o tema no site

1/7