Buscar

Com bandeiras do PT e da CUT, militantes interrompem culto na Igreja Luterana da Paz em Joinville


Uma invasão foi registrada na noite desta terça-feira (18) durante culto da Paróquia da Paz Joinville, templo central da Comunidade Luterana, uma das mais importantes edificações do patrimônio histórico daquele município.


Aos gritos de “ocupar e resistir” pessoas portanto bandeiras da CU e do Partido dos Trabalhadores (PT) entraram no templo situado na rua Princesa Isabel. O ato teria sido organizado por um grupo de estudantes da instituição, que protestaram contra o afastamento de uma professora que supostamente teria ofendido os moradores da cidade após o acolhimento a Jair Bolsonaro.


A professora Maria Elisa Máximo foi afastada da IELUSC, na qual trabalha por 15 anos na instituição. Na época, em comunicado informando a comunidade o desligamento da professora, a direção do IELUSC explicou que “o posicionamento institucional é de neutralidade política, por ser apartidária”.


A Igreja da Paz integra o conjunto arquitetônico da Paróquia da Paz e do Colégio Bom Jesus (a antiga Deutsche Schule, construída entre 1866 e 1868), e faz parte do cotidiano da cidade — o soar de seu sino ainda pode ser ouvido a cada hora, marcando o ritmo da vida no centro.


Ao longo de sua história, ela passou por diversas ampliações e mudanças. A construção da torre só foi possível após a Proclamação da República, com uma maior flexibilização proporcionada pela nova Constituição Federal. Assim, em 18 de dezembro de 1892 a torre foi consagrada.


No mesmo período foram adquiridos na Alemanha três sinos para ela. O relógio da torre foi instalado mais tarde, por volta de 1908. A última grande reforma ocorreu em 1964. Depois disso foram realizadas apenas pequenas alterações.



Fonte: O MIRANTE JOINVILLE/GP1





1/7