Buscar

Com nova alta, preço do litro da gasolina chega a R$ 7,80 em alguns postos brasileiros


Governadores anunciam ampliação do congelamento do ICMS que encerraria segunda-feira (31)


Segundo a Agência Nacional do Petróleo, na última semana, de 16 a 22 de janeiro, o valor médio do litro do combustível passou de R$ 6,60 para R$6,66. O litro do diesel também subiu 2,9% e chegou a custar R$ 5,58, quando antes custava R$ 5,42. Os aumentos refletem o reajuste no preço dos combustíveis para as distribuidoras, anunciado pela Petrobras em 11 de janeiro.


O Rio de Janeiro registra o maior preço médio de gasolina no país: R$ 7,20. Os motoristas de Goiás enfrentam o segundo maior valor, com R$ 7,14, seguidos pelo Rio Grande do Norte com R$ 7,07, depois pelo Acre R$ 7,06 e, por fim, Minas Gerais com R$ 6,97.

O preço na bomba ainda sofre a influência da competição entre postos da mesma região e da distância entre os estabelecimentos e as distribuidoras. Na Zona Sul do Rio, a gasolina em alguns postos chega a mais de R$ 7,80, e o diesel, a quase R$ 6.


Segundo a ANP, o preço máximo do óleo diesel foi de 6,90, em Pindamonhangaba, no interior de São Paulo. O menor valor, de R$ 4,61, foi registrado em São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul.

Congelamento

Um dos principais fatores que explicam a diferença entre os preços em cada estado é o ICMS cobrado sobre os combustíveis em cada um. No Rio, o imposto é de cerca de 34%.

E o congelamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) recolhido pelos Estados sobre os combustíveis será prorrogado até 31 de março. A ampliação do prazo, que terminaria na segunda-feira (31), foi anunciada por governadores ontem (26).

Em nota, os governadores também cobram do governo Jair Bolsonaro (PL) a mudança na política de paridade internacional nos preços dos combustíveis, praticada pela Petrobras.

Conforme a nota, a prorrogação foi aceita “a fim da observação do consenso e a concomitante atualização da base de cálculo dos preços dos combustíveis, atualmente lastreada no valor internacional do barril de petróleo”.


O gráfico abaixo detalha os componentes do preço da gasolina cobrado na bomba em todos os estados nos quais a Petrobras vende gasolina a distribuidores. SC é o que cobra menos ICMS.





1/7