Buscar

Cordovan Neto faz duras críticas à SME: "Nem meu pai elevou a voz assim para mim daquele jeito"

Atualizado: 1 de jun.


Críticas enalteceram fatos da não inscrição de modalidades esportivas coletivas nos Jogos Abertos do Paraná e da falta de apoio à equipe da Acau Futsal, que representa União da Vitória, mas precisa até utilizar ginásio de Porto União para seus treinamentos


O Presidente da Câmara de Vereadores de União da Vitória, Cordovan de Mello Neto (PP) fez uso da tribuna durante a 16ª Sessão Ordinária realizada ontem (30) e teceu duras críticas à Secretaria de Municipal de Esportes (SME).

Neto informou que, nas qualidades de vereador e cidadão, procurou o referido departamento na semana passada para saber os motivos da não participação de nenhuma modalidade coletiva na 64ª edição dos Jogos Abertos do Paraná.

O presidente do legislativo disse que foi recebido pela diretora de esportes, Priscila Poletto e pelo secretário, vice-prefeito Jairo Clivatti e que o encontro não foi agradável diante de suas perguntas sobre o setor. “Porém, não me recordo de meu pai ter elevado o tom da voz para comigo daquele jeito”, desabafou ao se referir à reação do vice-prefeito e secretário de esportes, Jairo Clivatti.

Com relação à situação com os JAPs, Neto criticou duramente a justificativa, que seria a falta de educadores físicos na SME. “Mas já se passam um ano e meio. Não contrataram porque?”, pontuou.


Cordovan criticou a ausência de um cronograma de atividades do setor e o fato de ter ouvido de Priscila como resposta: “basta acompanhar nosso [da SME] Instagram”. Para o vereador, as crianças precisam ser orientadas, conduzidas. “Nem mesmo dos Jogos Escolares participamos! Somos tradicionais no esporte coletivo, há muita gente que atua como voluntário pelo município e o que estão fazendo é negar o direito do cidadão de representar União da Vitória”, disse. Neto se dirigiu diretamente ao prefeito Bachir Abbas em sua fala. “Que o prefeito cobre o relatório de atividades e o porque dessas não presenças de nosso município que já foi sede, em 2017, dos Jogos Abertos. Ano passado a desculpa foi a covid. E agora essa de não ter profissionais para atuar”, seguiu. Para o vereador, equipes de voleibol, basquetebol, futsal sempre participaram com seus próprios educadores físicos, bastando a organização destes para que representassem as cores do município como sempre ocorrera. Sobre a Acau, que é o time de futsal local, Cordovan disse que entraves são costumeiramente criados pela diretora no agendamento de horários para treinos e transporte. “São pessoas que trabalham o dia inteiro e estudam, mas ainda reservam um tempo para ir treinar à noite e sequer conseguem um horário no ginásio”, explicou Neto ao A2. De fato, soubemos que a equipe da Acau Futsal utiliza outros ginásios, inclusive em Porto União, para seus treinamentos e não o Ginásio Isael Pastuch.

“São picuinhas de uma pessoa que não é daqui, que não conhece a tradição do esporte coletivo de União da Vitória. Até o Iguaçu que tão bem representa nosso município encontrou problemas desde o corte e pintura do gramado a horários para treinar no estádio municipal Antiocho Pereira”, disse Neto ao se referir à diretora, uma conhecida indicação do segundo escalão feita pelo vice-prefeito Jairo Clivatti.


Para o vereador, a SME não atua em consonância com demais secretarias da administração municipal. “Essa diretora acha que o mundo gira ao seu redor. Ela tem que entender que nada se faz sozinha. A única coisa que você, dona Priscila (sic) fez sozinha, foi privar nosso munícipe de participar dos jogos abertos”, criticou Neto.

Cordovan finalizou sua dala alertando atletas das modalidades individuais que ainda há tempo para suas inscrições nos referidos jogos. A fala do vereador pode ser acompanhada pela TV Câmara no You Tube pelo link : https://bit.ly/3NFmSB4

1/4