Buscar

Empresário é preso por submeter 13 pessoas a regime de escravidão em Caçador


A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Polícia da Comarca de Caçador, resgatou 13 trabalhadores, dentre eles dois adolescentes (sendo uma gestante) que eram mantidos em situação análoga à escravidão em uma plantação de cebola localizada na região do aeroporto da cidade.

Os policiais civis receberam a denúncia durante a tarde de quarta-feira (26) e imediatamente se deslocaram. Ao chegarem, constataram um local totalmente insalubre, com pouca comida, com apenas um banheiro para todos, em condições degradantes.

Em conversa com os trabalhadores, eles informaram que eram oriundos de diversos estados e informaram que vieram trabalhar na colheita de cebola com a promessa de ganhar por produção e que teriam comida e alojamento sem custos adicionais. Porém, quando chegaram passaram a ser cobrados pela alimentação e moradia e, no final, estavam ganhando a metade do previsto.

Os agentes constataram que os trabalhadores eram submetidos a uma jornada exaustiva, já que trabalhavam cerca de 11h diárias. Diante dos fatos, os policiais civis deram voz de prisão em flagrante ao contratante, um empresário que tem plantações de cebola em vários estados da federação.


Todos foram conduzidos para a delegacia de polícia e ouvidos em um flagrante que se estendeu pela madrugada. Após os procedimentos legais, o empresário foi encaminhado ao presídio regional de Caçador e os fatos comunicados à Justiça Federal.

Com informações de Rádio Destaque

1/4