Buscar

EUA acusam formalmente a Rússia por crimes de guerra na Ucrânia



O governo dos EUA formalizou hoje (23) acusação de crimes de guerra contra a Rússia por ações praticadas na invasão da Ucrânia. Uma declaração assinada pelo Secretário de Estado Antony Blinken acusa as tropas sob as ordens do presidente russo Vladimir Putin de realizar “ataques indiscriminados e ataques deliberadamente direcionados a civis, bem como outras atrocidades”.


“As forças da Rússia destruíram prédios de apartamentos, escolas, hospitais, infraestrutura crítica, veículos civis, shopping centers e ambulâncias, deixando milhares de civis inocentes mortos ou feridos. Muitos dos locais atingidos pelas forças da Rússia foram claramente identificados como sendo usados ​​por civis”, diz o texto.


No documento, Blinken diz que há “relatos confiáveis” das acusações, citando especificamente dois casos reportados nas últimas semanas pelo governo ucraniano. Um deles, o bombardeio de uma maternidade em Mariupol, relatado também pelo Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos. Também foi citado o “ataque que atingiu um teatro em Mariupol, claramente marcado com a palavra ‘дети’ – russo para ‘crianças’ – em letras enormes visíveis do céu”.


A declaração publicada pelo chefe da diplomacia norte-americana serve para formalizar a denúncia. “Hoje, posso anunciar que, com base nas informações atualmente disponíveis, o governo dos EUA avalia que membros das forças da Rússia cometeram crimes de guerra na Ucrânia”.


No texto, o Secretário de Estado diz, ainda, que “o governo dos EUA continuará a rastrear relatos de crimes de guerra e compartilhará informações que coletamos com aliados, parceiros e instituições e organizações internacionais”. E diz estar comprometido em “buscar a responsabilização usando todas as ferramentas disponíveis, incluindo processos criminais“.


1/7