Buscar

Governo de Portugal declara Situação de Contingência



Com as temperaturas muito altas e a terra extremamente seca, o governo de Portugal colocou o país, desde a meia-noite, em situação de contingência. A previsão é que, até o final desta semana, as temperaturas possam chegar a 45 graus Celsius (°C) em várias regiões do país.

Face às previsões meteorológicas para os próximos dias no país, que apontam para o agravamento do risco de incêndio rural, o Governo de Portugal definiu que a Situação de Contingência seja para todo o território no período compreendido entre a 0h do dia 11 de julho e as 23h59 horas do dia 15 de julho.

Esta Declaração resulta da elevação do Estado de Alerta Especial da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em função do agravamento das previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), com grande parte do território continental nos níveis Elevado, Muito Elevado e Máximo de risco de incêndio. Considera ainda o esforço que impende sobre o dispositivo operacional e a necessidade de serem adotadas medidas preventivas e especiais de reação face ao risco.

Entre as medidas estão:

- Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem,

- Proibição da realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração;

- Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;

- Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal;

- Proibição da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas.


Apoio

Ao abrigo do Mecanismo de Proteção Civil da União Europeia, e na sequência de um pedido de Portugal, o Governo de Espanha disponibilizou dois aviões pesados anfíbios (Canadair) para apoiarem no combate aos incêndios em Portugal. Estes dois aviões juntam-se aos 60 que integram o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios e começaram a operar hoje.


Foto Reuters


1/6