Buscar

MARCELO STORCK Coluna 11/04/2022

Atualizado: 11 de abr.

Que demais

Não foi um final de semana comum. Depois da superfesta à fantasia da Uniguaçu na sexta-feira (10), dois outros eventos de porte, o Jantar com Fandango realizado pelo CTG Fronteira da Amizade, com mais de 600 participantes, e a estreia do Iguaçu na segundona, com mais de 1.000 torcedores no estádio Antiocho Pereira, foram na verdade celebração da vida.

CTG

Na foto de capa da coluna, os amigos José Jorge dos Santos, Patrão, e o Diretor Social Valdir Klak, a quem agradeço pelos convite e recepção no CTG local. Ambiente familiar, cardápio como sempre irretocável. Cumprimentos à casa pela espetacular noite que, de estranho, teve a questão de ser em ambiente fechado com frequentadores sem máscaras. Ufa! Está passando! Fé! Mais um indicador de que as coisas estão voltando à normalidade. É preciso agradecer por isso também.


No Palco Amigos da Banda Mahá, liderada pelo Hugo Correa, deram show à parte. Boa música tradicionalista muito bem tocada dando o retoque ao evento social de belíssima tradição. E o Hugo, dando o toque, lembrando do pequeno Breno que também estava lá, com seus pais, caminhando com a segunda e decisiva etapa de seu tratamento. É preciso seguirmos apoiando.

Outro show Que coisa mais linda esse domingo no estádio Antiocho Pereira com a estreia do Iguaçuzão no Campeonato Paranaense. Um show à parte foi a presença da torcida, cada vez maior e sempre com um comportamento exemplar. Famílias, casais, crianças presentes ao estádio. Isso é bom demais. E o Iguaçu, hein?


Iguaçu x Laranja Mecânica - Foto Rafael Buchholz (AA Iguaçu) Pena foi a falta do gol do Iguaçu: a largada seria ainda melhor. Pelo que já sabemos, com esse formato de nove jogos de ida, o quadrangular final do campeonato será decido nos detalhes junto do “se”. Esses dois pontos que escaparam diante do empate com o Laranja Mecânica de Arapongas já trazem preocupação com a recuperação fora de casa.


Comparações Naturalmente que com a participação do Iguaçu em dois campeonatos vizinhos da mesma divisão e próximos temporalmente, as comparações já começaram com relação à Pantera do Vale, até porque é outra comissão técnica. No entanto, é preciso cautela e ver que é cedo para tudo, apesar do campeonato curto. Outro ano, outra competição, alguns times conhecidos, mas com outros jogadores. E, ademais, acabaríamos comparando o time que terminou a competição 2021 (mais bem entrosado, obviamente) com o que está iniciando. Mas já que está que vá: em agosto de 2021 o Iguaçu também estreou com empate. Empatou fora de casa em 2 a 2 com o Prudentópolis.


Opiniões quase distintas

Merecida homenagem ao Orlei. Foto Rafael Buchholz (AA Iguaçu) Nessa coisa boa que é o viver sem máscaras, encontrei o vereador Cordovan de Mello Neto, presidente do legislativo de União da Vitória e proponente da bela e merecida homenagem póstuma ao amigo Orlei Maltauro – que agora dá nome à cabine do estádio Antiocho Pereira. E lá, em meio ao nosso bate-papo, a democracia também imperou. *** Eu opinei que caso o Iguaçu venha a permanecer mais um ou dois anos na segundona não seria de todo um problema, desde que os avanços necessários continuem, o que tem ocorrido. Principalmente com a estrutura do clube que, por exemplo, ainda almeja conseguir um terreno para seu Centro de Treinamentos e revelar jogadores. Meu receio é com subir para a primeirona (para isso seria necessário ficar em 1º ou 2º lugar este ano) e eventualmente cair em 2023, pois, afinal, se agora já não é bolinho, imagine na elite. Penso que se isso ocorresse, não causaria desânimos.

*** Já o Cordovan Neto, com sua invejável camisa histórica década de 1980 do Iguaçu (aquelas de fio - certeza que pegou emprestado do Museu do pai Cordovan), me disse entender que subir para a primeirona (e até eventualmente cair em 2023) seria ainda melhor, haja vista a experiência e numerais arrecadados na competição da elite. Óbvio que compartilhamos dessa vontade. Quem não quer o Iguaçuzão de novo na elite, não é? Mas tem muito chão pela frente e a diretoria atual tem feito, como sempre, mais do que pode. Por isso, parabéns ao presidente José Ruski e comandados. É o que sempre digo: bom mesmo é ter o Iguaçu por perto!


Política

Já que entrou em campo o assunto política no estádio, outro bate-papo que tive ontem foi com o amigo Emmanuel Gabardo (de camisa preta na foto ao lado com o José Ruski e com o irreverente Gitica). Gabardo me atualizou sobre a boa caminhada que Hussein Bakri tem cumprido rumo à eleição 2022. De fato, a região não pode nem pensar em desperdiçar a experiência e capacidade que é representada na figura de Hussein. Seria dar tiro no pé. Hussein, que inclusive recebeu os agradecimentos do Iguaçu por seu apoio, é um político de maior trânsito hoje e que muito tem conquistado para as regiões que representa.


Porto União Conversei com o amigo Anízio de Souza na sexta-feira (8) e óbvio que ali o assunto política é obrigação. O ex-vereador e ex-vice e ex-prefeito de Porto União, hoje no PSB, me disse que de fato recebeu convite para disputar cadeira na Alesc. Mas que declinou. Vai participar do processo como apoiador e sobre 2024 disse que tudo passa antes, justamente, pelas próximas eleições em âmbitos estadual e federal.

Disse "Faça da dificuldade a sua motivação"

- Charlie Brown Jr

1/7