Buscar

MARCELO STORCK COLUNA 25/02/2022



Avanços Graças a uma série de combinações tive o prazer, a honra e o privilégio de participar do curso de regência oferecido pela empresa MC Moraes ministrado pelo Maestro Roberto Tibiriçá em São Paulo (SP). Paras aqueles mais próximos da música sinfônica, dispensa apresentações. Nisso, agradeço ao Instituto SIM, de modo especial às pessoas do presidente Celso Marczal e do diretor Peterson Jaeger pelos estímulos constantes à minha evolução profissional e confiança nesta.


O Maestro

Para quem não está a par, vai lá: Roberto Tibiriçá é titular da cadeira de nº 5 da Academia Brasileira de Música desde 26 de março de 2003. Membro Honorário da Academia Nacional de Música, Rio de Janeiro desde 2018. Autor do livro “O Regente sem Orquestra”. É considerado um dos melhores regentes da atualidade estando à frente das principais orquestras brasileiras, entre as quais a OSB e a Osesp.


Ações Tibiriçá fundou em São Paulo a Orquestra Nova Filarmonia, que entre outros artistas acompanhou Luciano Pavarotti, a Orquestra Nova Sinfonieta e a Orquestra de Câmera Da Capo (conjuntos formados pelos melhores músicos da cidade) e onde realizou a primeira audição da Petite Messe Solennelle, de Rossini. Constantemente convidado a reger orquestras brasileiras, tem recebido excelentes críticas sobre suas apresentações, inclusive fora do Brasil.


O aprendizado Confirmações e reposicionamentos - e alguns por meio de "boas broncas" [risos] que levei - são os frutos desse plantio que iniciou na segunda semana de janeiro com a análise da 6ª Sinfonia de Beethoven – a Pastoral. Um mergulhar por cantinhos antes não percebidos em cada audição. Veio a inscrição da fase presencial e, felizmente, estive lá, selecionado entre os maestros brasileiros que puderam conhecer pessoalmente e ter aula com o Maestro que, no segundo dia já usava nosso presente, a camisa do SIM. Fantástico. Mas, um bom jogo bruto.

Outro grande Roberto


Em meio às agendas do curso desta semana, uma aula presencial com a genialidade e cortesia do Maestro Roberto Farias, meu professor na pós-graduação em Regência Orquestral. Tomamos um café matinal em local com vistas para o Hospital da Beneficência Portuguesa onde fiz minha primeira cirurgia do coração há 30 anos. Haja coração.


Sobre ele No período de 1989 a 2000, o Maestro Roberto Farias foi diretor artístico e regente titular responsável pelo projeto de profissionalização da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo. Para conhecer mais sobre nosso futuro visitante basta acessar o site dele: https://www.mrobertofarias.com/

Vem reger o SIM

Entre os ensinamentos com esse Roberto, a confirmação de toda humildade que lhe torna um dos ícones latino-americanos inclusive em meio às bandas sinfônicas. E olha só, que maravilhoso! Farias aceitou nosso convite e vem para reger a “Orquestra do Instituto SIM” por ocasião do concerto beneficente que faremos em total benefício do pequeno Breno Minikoski. Data e repertório em definição. Contaremos mais na sequência. #Gratidão


Lançamento A ONG Gilson G.Olinquevicz criada pelo Grupo “Empreendedores do Bem” realizará live hoje (25) a partir das 20h em seu perfil no Instagram. Na ocisão, o público ficará a par sobre as ações e intenções do grupo que surge para ajudar no combate à fome por meio da redução do desperdício de alimentos. Para acessar, basta usar esse link: https://bit.ly/3HmS1G7


Oração


Amanhã, sábado, às 13h17, é a hora e dia da semana em que todos estamos nos unindo em oração pela pequena Laurinha.

Se você não conhece a história dessa bebê guerreira que luta contra um câncer, leia aqui no A2 em https://bit.ly/3JVsYLL.

Basta um minuto de sua oração, independentemente de sua religião.



Agência do Trabalhador da Cultura

O deputado estadual Cobra Repórter (PSD) apresentou, na última segunda-feira (21), um requerimento, na Assembleia Legislativa do Paraná, sugerindo a criação da Agência do Trabalhador da Cultura.O requerimento foi endereçado ao governador Carlos Massa Ratinho Junior. No texto, o deputado cita uma enorme demanda na área da Cultura neste momento de retomada econômica, com a volta das feiras, teatros, shows, entre outros eventos artísticos. No requerimento, ele sugere que a Agência do Trabalhador da Cultura seja um trabalho conjunto entre a pasta governamental responsável pela Cultura e a secretaria estadual de Justiça, Família e Trabalho (Sejuf).



1/7