Buscar

“Massacre do dia 27”: postagem em rede social alimenta necessidade de maior atenção na rede escolar


Em Brasília, massacre" estava marcado para o dia 20. (Reprodução Correio Braziliense)


Secretaria de Educação e Polícia Militar de União da Vitória se posicionam: “Pedimos que não estimulem esse tipo de mensagem, pois pode incentivar que alguém realmente faça algo” diz nota do 27º BPM


Desde que uma postagem publicada em rede social por uma internauta de Porto União informou que um vídeo encontrado por crianças na rede TikTok – espaço virtual com censura para menores de 13 anos - anunciava um “Massacre do dia 25”, muita incerteza, medo e apreensão foram gerados nas comunidades escolares e familiares da região.


A postagem dizia que o vídeo anuncia “Um massacre em todas as escolas brasileiras no dia a 25 de abril", mas que “em Porto União da Vitória será dia 27” – neste caso, amanhã, quarta-feira. “Vivemos tempos difíceis, não podemos duvidar de nada” complementava a internauta em seu post. A autora foi procurada por autoridades que a orientaram a remover a postagem, o que foi feito. Não houve ocorrência registrada em escolas brasileiras na data anunciada (25). Mas houve semelhante situação em outros municípios onde a mesma história se espalhou, até com datas distintas. O Correio Braziliense contou que familiares de alunos do Centro de Ensino Médio do Gama, em Brasília (DF), se assustaram na noite de terça-feira da semana passada (19) após receberem informações no grupo de mensagens da escola de um possível massacre marcado para a quarta-feira (20) na escola (foto de capa).


A irmã de uma aluna da escola relatou que, por medo, não mandaria a menina para a escola e que o diretor teria acionado a polícia para antecipar qualquer tentativa do crime.

A direção do Colégio Estadual Raphael Serravalle, localizado no bairro da Pituba, em Salvador (BA), adiou uma prova que seria aplicada ontem (25), em razão de uma ameaça de atentado à unidade escolar.


Em um comunicado publicado nas redes sociais da instituição de ensino, a direção informou que a situação foi formalizada junto à Secretaria de Educação (SEC) e à Polícia Militar, que reforçou a segurança nos arredores do colégio.


Caso semelhante viveu uma escola particular de Olinda (PE) que virou notícia desde que estudantes e funcionários foram colocados em alerta pelo mesmo motivo. De acordo com a mãe de um aluno de 10 anos do 5° ano do Ensino Fundamental, apenas três estudantes frequentaram as aulas na segunda (25).


Segundo ela, tudo começou quando algumas mensagens foram encontradas em banheiros da unidade de ensino. "Há uns quinze dias atrás estava escrito: 'Vai ter massacre dia 25'", disse a mãe ao Site TV Jornal.

Autoridades locais se manifestaram


Diante da circulação dessa mensagem na região, o secretário de educação de União da Vitória, Ricardo Brunhago, se posicionou. Em memorando assinado hoje (26), ele se dirigiu aos diretores da rede destacando que “Em virtude de uma publicação que circula nas redes sociais pedimos que redobrem as atenções nesses próximos dias. Com relação às questões referentes à segurança das instituições escolares e a qualquer sinal de risco entrar em contato com a polícia militar e a Secretaria Municipal de Educação”, diz o documento.


A polícia militar de União da Vitória também se posicionou com relação ao evento. Em nota no grupo de comunicação, o 27º BPM escreveu: “Ontem chegou ao nosso conhecimento que estão disseminando essas informações em redes sociais. Não há nada de ameaça real constatada. Estamos acompanhando. Pedimos que não estimulem esse tipo de mensagem, pois pode incentivar que alguém realmente faça algo. Em todo caso, nossas equipes estão sempre prontas para atuar em casos de necessidade”. Em Porto União, o Colégio São José acaba de enviar comunicado aos pais: "Diante dos comentários nas redes sociais, mensagem de suposto massacre, informamos que desde ontem nossos funcionários que atendem as portarias já foram alertados. Nossos cuidados foram redobrados e estamos atentos a qualquer movimento diferente que será imediatamente informado à polícia que já está alerta".

1/7