Buscar

Navio explorador Endurance é encontrado na Antártica, 107 anos após naufrágio


Registro feito pela antiga tripulação do navio Endurance preso no gelo em 1915. Foto: Frank Hurley


Passados 107 anos, o navio Endurance finalmente foi encontrado no último final de semana por cientistas que participaram da Expedição Endurance22. O navio de Sir Ernest Shackleton está nas profundezas do Mar de Weddell, na Antártica, onde ele afundou em 1915!


A Expedição Endurance22 partiu da Cidade do Cabo, África do Sul, em fevereiro deste ano com arqueologistas marinhos, engenheiros, técnicos e cientistas. A equipe foi a bordo do navio de pesquisa e logística polar da África do Sul S.A. Agulhas II, um dos maiores e mais modernos navios de pesquisa polar do mundo, sob o comando do Capitão Knowledge Bengu. “Fizemos história polar com a descoberta do Endurance e concluímos com sucesso a busca do naufrágio mais desafiador do mundo” disse John Shears, Líder da Expedição


O principal objetivo da expedição era localizar, pesquisar e filmar os destroços do navio Endurance, que foi esmagado pelo gelo e afundou no Mar de Weddell em 1915. Para isso, o time de pesquisadores contou com a ajuda de veículos de busca subaquáticos híbridos para investigar a área de busca.


A expedição localizou o náufrago no Mar de Weddell a uma profundidade de 3.008 metros, dentro da área de busca definida pela equipe, a aproximadamente 6,4 km ao sul da posição originalmente registrada pelo Capitão Worsley, antigo capitão de Endurance. Os vídeos feitos mostram que Endurance está em condições notáveis, mesmo estando a 3 km embaixo d'água há mais de um século.


Além de encontrar o navio Endurance, a expedição também realizou importantes pesquisas científicas num dos lugares mais difíceis do planeta relacionados às mudanças climáticas.


A história de Endurance


O espírito aventureiro de Ernest Henry Shackleton se manifestou desde muito jovem.

Embora seu pai tivesse decidido que ele seria médico, Ernest Henry Shackleton tinha outros planos para si mesmo: aos 16 anos ingressou na marinha mercante. Viajou para diferentes partes do mundo, mas o sonho desse jovem aventureiro, nascido na Irlanda em 1874 e educado em Londres, era explorar os polos. Em 1901, foi escolhido pelo oficial da Marinha britânica Robert Falcon Scott para participar de uma expedição à Antártida a bordo do navio Discovery.


Depois de percorrer o Polo Sul com Scott e outro explorador em condições climáticas extremas, chegando tão perto do polo como ninguém jamais havia chegado antes, Shackleton ficou gravemente doente.

Envolvido em várias expedições britânicas, ele tinha a ambição de conseguir a primeira travessia terrestre do continente antártico partindo do Mar de Weddell, passando pelo Pólo Sul e chegando ao Mar de Ross. Para realizar esse feito, ele embarcou na Expedição Transantártica Imperial de Shackleton a bordo do navio Endurance.


Os 28 homens a bordo acabaram não tendo escolha a não ser abandonar o navio e montar um acampamento improvisado no gelo. Depois de meses, o navio acabou sendo esmagado pelo gelo e afundou no dia 21 de novembro de 1915. Devido às condições do tempo na região, não foi possível tomar a posição exata do naufrágio e o Capitão Frank Worsley anotou coordenadas estimadas.


O grupo então recorreu aos botes salva-vidas para chegar à inóspita e desabitada Ilha Elefante. Shackleton e outros cinco fizeram uma extraordinária viagem de bote de 1 300 km para chegar à Geórgia do Sul. Lá Shackleton e outros dois cruzaram a ilha montanhosa até a estação baleeira em Stromness, onde Shackleton finalmente conseguiu organizar um resgate dos homens que esperavam na Ilha Elefante. O resgate foi feito em 30 de agosto de 1916, quando o grupo foi levado em segurança para Punta Arenas, pelo rebocador chileno Yelcho.

1/7