top of page
Buscar

Porto União: estrada Jangada-Nova Galícia continua sendo caminho de escape e ações para criminosos

Ontem (13) a PMSC apreendeu quase 200kg de maconha depois que um carro de traficantes atolou numa valeta na estrada do Jangada. Comunidade marcou reunião para hoje (14) onde o assunto será a insegurança: esquartejamentos de gado e furtos tornam madrugadas apreensivas para moradores



Acesso à estrada Jangada-Nova Galícia às margens da BR 153, na divisa dos estados do Paraná e Santa Catarina: rota para descaminhos que causam apreensão popular


Por Marcelo Storck – DRT 8108


Por volta das 20h30 de ontem (13) a Policia Militar de Porto União recebeu denúncia de que havia alguns veículos em atitude suspeita na localidade do Jangada do Su, interior de Porto União (SC).


No local, em rondas entre Jangada e Nova Galicia, foram avistados dois veículos VW Gol: um de cor prata e outro vermelho. Este segundo veículo estava caído em uma valeta com o porta-malas aberto. Dele, dois masculinos retiravam pacotes e arremessavam ao mato.

Ao perceberem a viatura, os dois elementos fugiram: um dos homens correu para o Gol prata, ligou e seguiu em sentido à BR 153. O outro correu para interior da mata, não sendo possível aos policiais a abordagem naquele momento de chuva forte na região. Então, os policiais identificaram o que eles jogavam ao mato eram vários tabletes de maconha enfardados em plástico amarelo.

Os policiais repassaram a informação via rádio para ciência das demais guarnições que se encontravam de serviço. Assim, rapidamente o veículo VW/Gol foi abordado no posto Delta da BR 153. Algumas horas depois, o masculino que havia se evadido foi localizado aproximadamente a 5 km do local de onde as drogas foram descartadas.

Carga de maconha arremessada ao mato foi apreendida ontem pela Polícia Militar de Porto União na região de Jangada do Sul.

Na delegacia de Polícia Civil foi feita a pesagem da droga: 195,480kg. Diante dos fatos, os autores foram conduzidos para delegacia juntamente com o veículo que estava com a droga.

Temor da comunidade é grande Não é de hoje – ou por esta ação de ontem – que a comunidade do Jangada do Sul (SC) que faz limite com General Carneiro na divisa com o Paraná, tem reclamado da ação de marginais na região. O temosegue aos arredores, chegando a propriedades de Nova Galícia, Stenguel e Maquinista Molina.

O caso acima é mais uma comprovação de que a estrada rural continua sendo utilizada como rota de escape para quem pratica ilegalidades , o que é geograficamente é fácil entender o porquê.



Não muito distante de seu acesso via BR 153 na ponte sobre o Rio Jangada (a 9,2 km) fica o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) do Cacique, onde a probabilidade de abordagem é grande.

Somem-se a isso as duas barreiras sanitárias existente em Porto União (uma na área industrial, na estrada do Guaraú e outra na ponte do rio Pintado). Desse modo, a estrada Jangada-Nova Galícia possibilita desvios aos interessados em crimes, reduzindo as chances de intervenção policial pela ampla malha viária do interior de Porto União: em torno de 1.800 km. Muito embora haja policiamento militar rural ostensivo, obviamente esta modalidade oferece um menor risco de abordagem em se comparando aos postos fixos de fiscalização.


Desse modo, com a estrada que liga comunidades como Jangada-Nova Galícia, Maquinista Molina e Stenguel sendo um “desvio para o desvio de condutas”, não é de se estranhar que a criminalidade ao longo da grande rota tenha se mantido e, o que é pior, aumentado.


Nos últimos dias, os moradores da área têm relatado um maior número de delitos que na maioria das vezes terminam nos Boletins de Ocorrência, uma vez que não há meios de facilitar o trabalho de investigação. Vão desde arrombamentos residenciais e de galpões agrícolas a furtos e esquartejamentos de cabeças de gado. Na maioria das vezes os animais são abatidos a tiros e não há intervenção popular pelo óbvio do confronto com criminosos, mas também pelo fato de que os tiros ocorrem principalmente nas madrugadas, dizem moradores.

“Passou da meia-noite o temor da gente começa. Nossas madrugadas são terríveis diante de tamanha apreensão”, disse uma fonte ao A2 Portal.

Recentemente, toda a criação dessa propriedade no Xaxim-Jangada foi abatida e levada na madrugada. No video abaixo, compartilhado no grupo de WhatsApp da comunidade, é possível perceber a angústia na fala de quem perdeu toda a criação para os marginais.

VEJA O VÍDEO



Diante disso, a comunidade mais uma vez se mobilizou e agendou para hoje (14), às 19h, uma reunião popular com autoridades na Igreja Católica do Jangada. A intenção é reapresentar o problema e propor ações mais agudas de combate ao crime.

Entre elas, alguns moradores defendem a instalação de um sistema de câmeras de segurança na entrada da estrada e ao longo dos principais trajetos, bem como a construção de um posto de policiamento com barreira sanitária na entrada da estrada rural.

bottom of page