Buscar

Presos suspeitos de integrar quadrilha que assaltou bancos no Rio



Uma ação conjunta da Polícia Federal, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal prendeu ontem (26) dois homens acusados de assaltar empresas de transporte de valores e caixas eletrônicos no Rio de Janeiro. Um dos detidos seria membro de uma organização criminosa responsável pelas recentes explosões em agências bancárias em Niterói, São Gonçalo, Vila Isabel, Taquara e São João de Meriti.


A 2ª Vara Criminal de Bangu havia expedido mandado de prisão por roubo majorado contra ambos os presos, e agentes da Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio e ao Tráfico de Armas (Delepat/PF/RJ) e da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF/PCRJ) localizaram e prenderam um dos acusados, de 20 anos de idade, no bairro de Copacabana, por volta das 14h30 de ontem.


A outra prisão ocorreu às 16h, quando agentes da DRF encontraram o outro acusado, de 33 anos de idade, na Ilha do Governador. As investigações o apontam como integrante do grupo responsável pela recente onda de explosões em agências bancárias na modalidade chamada Novo Cangaço, que atua com vários fuzis e veículos. Ele teria participado de três desses ataques, segundo a Polícia Federal.


Relembre Criminosos explodiram uma agência da Caixa Econômica Federal em uma das principais e mais movimentadas ruas do bairro de Vila Isabel, no Rio de Janeiro. Na madrugada de quarta-feira, 3 de agosto de 2022. Cerca de dez criminosos roubaram carros que foram usados para bloquear a rua Felipe Camarão, um dos acessos ao Boulevard 28 de Setembro, uma das principais vias do bairro.


Com o alvo isolado, a agência bancária foi explodida pelo bando. A Polícia Militar (PM) foi acionada. Segundo testemunhas e moradores houve intensa troca de tiros no local. Os assaltantes conseguiram fugir pela rua Jorge Rudge.


Foi possível ver os rastros da troca de tiros e de destruição na agência. Portas arrobadas, vidros quebrados e estilhaços por todos os lados.

1/7