Buscar

Rússia e China anunciam apoio mútuo "na salvaguarda dos seus principais interesses”


Divulgação/Kremlin O presidente da China, Xi Jinping, recebeu, nesta sexta-feira (4), em Pequim, Vladimir Putin, presidente da Rússia. Anunciaram que os países se apoiarão firmemente na “salvaguarda dos seus principais interesses”. Putin enviou uma tropa para a fronteira após a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) aumentar as atividades no território ucraniano.

Sem citarem a questão, os líderes expressaram oposição “a qualquer expansão futura da Otan”.

Segundo os líderes, “Rússia e China se opõem às tentativas de forças externas de minar a segurança e a estabilidade em suas regiões adjacentes comuns”, diz comunicado conjunto divulgado pelo Kremlin.

Também sem citar os EUA, afirmaram que “alguns atores que representam uma minoria na escala internacional continuam a defender abordagens unilaterais para abordar questões internacionais e recorrer à força; interferem nos assuntos internos de outros Estados, infringindo seus direitos e interesses legítimos, e incitam contradições, diferenças e confrontos, dificultando o desenvolvimento e o progresso da humanidade”.


Ambos países ainda reafirmam seu “forte apoio mútuo à proteção de seus interesses centrais, soberania estatal e integridade territorial” e disseram se opor à “interferência de forças externas em seus assuntos internos”.

E declararam que as relações interestatais entre Rússia e China são superiores às “alianças políticas e militares da época da Guerra Fria” e que a “amizade entre os dois Estados não tem limites”. “Não há áreas ‘proibidas’ de cooperação”, destacaram.


1/6