Buscar

Teve até Baby Shark: "Primeira Audição" volta a soar nas escolas de União da Vitória


Projeto do Instituto Sempre Incentivando Música (SIM) visitou escolas municipais na sexta-feira (18)


Passada a fase da pandemia em que as escolas, obrigatoriamente, se transformaram em telas de aparelhos eletrônicos, a fase de semear presencialmente está de volta. E isso inclui a possibilidade de restabelecimento de um projeto pioneiro: O Primeira Audição, do Instituto Sempre Incentivando Música (SIM).


Criado pelo fundador do SIM, Maestro Marcerlo Storck, o programa que leva música instrumental ao seio escolar por meio de concertos didáticos já foi espelhado em outros centros, como Ponta Grossa e São Paulo, diante de sua capacidade de estimular boas práticas sociais, desenvolver a cidadania e a arte identificando crianças com interesse pela arte. Assim, na sexta-feira (18) o maestro Marcelo Storck (saxofone) e os professores Anderson Fabrício Pereira (trombone) e José Lírio (trompete) visitaram duas as escolas locais. Formando um trio com peças especialmente preparadas para a ocasião, vistaram na parte da manhã a Escola Serapião. Além das adaptações de obras de Bach e do método Suzuki feitas pelo professor José, o repertório foi encerrado com o tema "Baby Shark", escrita pelo professor Anderson Fabrício.


Para a diretora Carla Teresinha da Silva, a vista contribui para o desenvolvimento de atividades extra-curriculares que são de fundamental importância. "As crianças adoraram, foi um momento bastante divertido e educativo. Espero que voltem mais vezes", destacou.

Em trio, professores apresentaram músicas e instrumentos

À tarde foi a vez da Escola Hilda Mello. O anfiteatro esteve praticamente lotado por uma plateia avida em perguntar. Teve aluno do terceiro ano colocando os professores em saia justa com pedidos de "forró" e de "jazz" que não estavam preparados. "Vamos torcer para que nenhum deles conheça Espinha de Bacalhau", brincou o professor José Lirio se referindo à obra de Severino Araújo.

Mas tocas as músicas apresentadas cumpriram seus objetivos alcançando aplausos da criançada. "A Escola Hilda Romanzini de Melo agradece a visita do Instituto SIM. Foi maravilhoso. Sejam sempre bem vindos", destacou a diretora Mônica Fragoso de Almeida.



O momento só foi possível graça ao apoio da secretaria de educação que, mais uma vez, abriu as portas da rede escolar, bem como do convênio firmado com a prefeitura de União da Vitória, por meio da secretaria de assistência social, e assinado pelo prefeito Bachir Abbas. Primeira vez na história do SIM o acordo da parceria é firmado de modo a transcender 12 meses de duração, tendo sido estendido até 2024. "Somos muito gratos ao Bachir, aos secretários, conselheiros e professores por abraçarem esse projeto".


E agora, Jose? Agora, as crianças interessadas em aprender música gratuitamente no SIM devem retornar de casa com a autorização dos pais ou responsáveis e informar à direção escolar. Por sua vez, a escola informa o SIM sobre o número de participantes e o segundo momento, o de passar a estudar será definido.


COMO FUNCIONA O PROJETO

Fase 1 – Primeira Audição:

Por meio desta projeto, professores e músicos do Instituto SIM visitam escolas interessadas para uma apresentação musical a seus alunos. Agrupados em trios, quartetos e quintetos, os músicos explicam sobre as peças apresentadas e os instrumentos utilizados. Após o concerto didático, alunos interessados em estudar música se inscreveram em fase de contra-turno será ministrada na própria escola.


Nesta sala de aula, foram dadas as noções iniciais de teoria musical e técnica instrumental. Esta fase funciona também como um filtro. É normal muitos alunos deixarem as aulas nesta fase, pois não imaginam que terão de ler música para poder tocar. Isto economiza tempo deles, mas também do instituto (que sequer tinha espaço físico em boa parte do tempo) e de seus professores. Os alunos que permanecem interessados na atividade, uma vez concluída a fase inicial, podem se inscrever na próxima fase.


Fase 2 – Estação da Música:

Nesta segunda fase, os alunos que completaram a primeira, passaram a ter aulas de aprofundamento musical e instrumental na sede do Instituto SIM! Depois de escolhido o instrumento musical que será estudado, o aluno é direcionado a um professor especialista. Nesta fase também há filtro. Não raras vezes o aluno acaba escolhendo mudar de instrumento musical ou assim é orientado. Definido isto e aprofundado o estudo, esta segunda fase tem duração de dois meses.


Fase 3 – Pra que banda eu vou:

Nesta terceira fase, o aluno recém-formado pelo Instituto SIM! é levado a conhecer outras bandas e fanfarras de nossas cidades. Neste passeio ele pode conhecer diversos outras formas de música e optar em qual banda continuará estudando. Muitas vezes esta escolha se dá por questões geográficas e até sociais, pois não raras vezes há um amigo tocando na banda da escola que fica perto de sua casa. No entanto, ele também pode optar em continuar estudando na Banda Sinfônica do Instituto SIM! onde continuará recebendo orientações musicais. De um modo ou de outro, a criança chegará ao «universo banda» mais bem vinculada com o meio musical e sua integração e permanência serão facilitadas.

1/6